The link was sent to your email.

We were unable send the link to your email. Please check your email.

Missing captcha code. Please check whether your browser is not blocking reCAPTCHA.

Invalid captcha code. Please try again.

Online Help

GEO5

Tree
Settings
Product:
Program:
Language:

Atrito Superficial da Raiz da Microestaca - Gráficos

A análise da resistência do furo na raiz da microestaca Rs depende consideravelmente do tipo de injeção da raiz da microestaca. As seguintes opções de injeção são consideradas no programa:

  • IRS: injeção seletiva repetida na raiz da microestaca por mangas, executada no local (Tube-á-Manchette),
  • IGU: injeção sob pressão global unificada (Looped Tube Systems).

Os gráficos seguintes, utilizados para a análise do atrito superficial da raiz da microestaca qs [MPa], são considerados pelo programa:

Os gráficos exibidos mostram a pressão limite pLM no eixo horizontal, determinada a partir de ensaios pressiométricos (PMT). Para as sondagens SPT são utilizados os mesmo gráficos, mas a pressão limite pLM [MPa] é determinada como n-vezes o número de pancadas N para o intervalo da profundidade de penetração d = 0.3 m, isto é, SPT [N/0.3 m]. Para cada tipo de solo, os valores da pressão limite pLM segundo Menard são os seguintes:

  • areia, cascalho, silte e rocha fraca: pLM = SPT / 20,
  • argilas: pLM = SPT / 15.

Por exemplo, para solos arenosos e com o valor para o número de pancadas SPT = 120, a pressão limite é dada por pLM = SPT / 20 = 120 / 20 = 6.0 MPa.

Para solos argilosos e com valor para o número de pancadas SPT = 30, a pressão limite é dada por pLM = SPT / 15 = 30/15 = 2.0 MPa.

O eixo vertical apresenta o valor do atrito superficial da raiz da microestaca qs, em função da pressão limite pLM e do tipo de injeção aplicada (IRS ou IGU).

Try GEO5 software yourself.
Download Free Demoversion.