The link was sent to your email.

We were unable send the link to your email. Please check your email.

Missing captcha code. Please check whether your browser is not blocking reCAPTCHA.

Invalid captcha code. Please try again.

Online Help

GEO5

Tree
Settings
Product:
Program:
Language:

Verificação de Contenções

O programa verifica a estrutura introduzida através do método de pressões dependentes ou do método de mola de acordo com JGJ 120-2012. A carga aplicada à estrutura é derivada da sua deformação, que permite modelar o seu comportamento de forma realista realista e permite dimensionamentos económicos. A análise considera o processo construtivo como etapas individuais da construção progressiva da parede (etapas de construção), incluindo a evolução gradual das deformações e ancoragens pós-tensionadas. O programa também pode modelar qualquer tipo de contenção suportada.

A utilização do método de pressões dependentes implica a determinação do módulo de reação do subsolo, que pode ser assumido como linear ou não linear.

O programa também permite que o usuário verifique a estabilidade interna do sistema de ancoragem.

A análise é realizada com recurso à variação da deformação do método dos elementos finitos. Deslocamentos, forças internas e módulo de reação do subsolo são avaliados para cada nó.

É assumido o seguinte procedimento para dividir a estrutura em elementos finitos:

  • Primeiro, os nós são inseridos em todos os pontos topológicos da estrutura (pontos de origem e fim, pontos de localização de ancoragens, pontos de remoção de solo, pontos de mudança de secção transversal).
  • Com base na subdivisão obtida, o programa computa os nós restantes de forma a que todos os elementos apresentem, aproximadamente, tamanho semelhante.

É atribuído a cada elemento um valor para o módulo de reação do subsolo. Os apoios são introduzidos na estrutura deformada - cada apoio representa um deslocamento forçado aplicado à estrutura.

Na etapa de construção em que as ancoragens pré-tensionadas são inseridas, estas são modeladas como forças (variante I da figura). Nas outras etapas de construção, as ancoragens são modeladas como molas de rigidez k (variante II da figura) e forças:

Modelo de ancoragem pré-esforçada

Ancoragens não pré-tensionadas são sempre modeladas como molas, em todas as etapas de construção. A força da ancoragem é computada a partir da estrutura e da rigidez da ancoragem:

Modelo de ancoragem não pré-esforçada

A variação da força de ancoragem devido à deformação é dada por:

onde:

v

-

distância horizontal entre ancoragens

Δw

-

aumento da deformação no ponto de aplicação da ancoragem

E

-

módulo de Young da ancoragem

A

-

área da secção transversal da ancoragem

l

-

comprimento da ancoragem

k

-

rigidez da ancoragem

α

-

inclinação da ancoragem

Bibliografia:

Hurych, P.: Metoda zavislych tlaku. Sbornik konference "Automatizacia projektovania", Vysoke Tatry, 1978.

Try GEO5 software yourself.
Download Free Demoversion.